TOQUE JUNTO BOSSA NOVA - BATERIA - Kiko Freitas

R$ 53,99

Disponibilidade: Em estoque

Código: BNBAT

Editora: Vitale

Idioma: Português

Autor/Artista: Kiko Freitas

Instrumento: Bateria

Formato: 60 páginas

"A idéia deste livro é dar ao músico informações importantes para o entendimento e fluência do estilo chamado bossa nova, que, em sua versão instrumental, foi batizada de "samba-jazz". Os temas utilizados são do grande mestre da nossa música, Tom Jobim. Todas as músicas abordadas no livro tem uma partitura básica usada por todos os instrumentos. Optei por não escrever a partitura completa da bateria, mas deixar que o leitor possa ver como é o material que chega às minhas mãos em uma situação normal de show ou gravação. Escrevi as conducões principais, convenções adaptadas para o instrumento e frases mais importantes." - Kiko Freitas
Este play-along possui arranjos do trio Nelson Faria (Violão/Guitarra), Ney Conceição (Baixo) e Kiko Freitas (Bateria), extremamente conceituado no contexto da moderna música popular brasileira.


ACOMPANHA CD


Vitale
60 páginas


Músicos:


Nelson Faria - Violão/Guitarra
Ney Conceição - Baixo
Kiko Freitas - Bateria


Músicas:


Corcovado
Samba do avião
Samba de uma nota só
Só danço Samba
Insensatez
Triste
Wave


Conceito do Livro:


É muito importante lembrar que para se tocar bem e compreender qualquer estilo musical é fundamental que se ouça profundamente o gênero em questão, analisando diversas gravações e performances ao vivo com bons músicos e grupos. Sempre achei fantástica a experiência de tocar com discos de grupos dos mais diferentes idiomas musicais...


A idéia deste livro é dar ao músico ou estudante de música informações importantes para o entendimento e interiorização do estilo chamado bossa nova, que, em sua versão instrumental, foi batizada de "samba-jazz", no início da década de 1960. Os temas utilizados são do grande mestre da nossa música, Tom Jobim. Recomendo que todos ouçam também as gravações originais dessas musicas, verificando como foram concebidas, uma vez que neste play along colocamos nossa própria interpretação dos temas.

Todas as músicas abordadas no livro tem uma partitura básica usada por todos os instrumentos. Optei por não escrever a partitura completa da bateria, mas deixar que o leitor possa ver como é o material que chega às minhas mãos em uma situação normal de show ou gravação. Escrevi as conducões principais, convenções adaptadas para o instrumento e frases mais importantes. O leitor poderá portanto seguir as sugestões escritas, estudando-as, e também ouvir as execuções gravadas, compreennendo assim o sentido das conduções rítmicas e frases dentro dos temas musicais apresentados, buscando a fluência e liberdade de criação no instrumento. - Kiko Freitas


Sobre o Autor:


Nasceu em Porto Alegre a 16 de Agosto de 1969. Aos quatro anos de idade começou a tocar bombo legüero (instrumento típico do Rio Grande do Sul e Argentina) acompanhando seu pai, o músico Telmo de Lima Freitas. Sua mãe Beatriz Castro sempre cantou vários estilos musicais o que influenciou Kiko na continuidade da sua relação com a música.



Aos oito anos iniciou-se nos estudos de violão e ao mesmo tempo tocava em caixas de jogos, potes plásticos e gaiolas, inclusive gravando suas "performances" para ouvi-las depois. Aos doze anos veio o interesse pelo contrabaixo com a formação de uma banda dentro da sua família.


Seus primos Carlos e André tocavam guitarra e cantavam, sua irmã Ana tocava guitarra e o baterista era Luiz Paulo, o Alemão. Com a falta do Alemão em alguns ensaios, Kiko começou a tocar bateria intuitivamente. A paixão pelo instrumento nasceu ali e o acompanha até hoje.


Aos 16 anos teve aulas com Argos Montenegro, com quem teve uma visão prática do instrumento. Buscando maior aprofundamento Kiko iniciou seus estudos de teoria musical na escola da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Enquanto isso, teve seus primeiros trabalhos profissionais em 1987.


Nos anos 90, Kiko Freitas já era um dos bateristas mais requisitados para shows, gravações e workshops, tendo sido convidado pelo grande contrabaixista Nico Assumpção para gravar seu trabalho solo e sendo indicado pelo mesmo para várias outras gigs no centro do país, tendo tocado com nomes muito importantes como Michel Legrand, Frank Gambale, Jeff Richmann, Luiz Avellar, Nivaldo Ornellas, Ricardo Silveira, Widor Santiago, Idriss Boudriua, Rafael Vernet, Frank Solari, Renato Borghetti, Jamil Joanes, Vítor Ramil, Chumbinho, Fábio Jr. com o qual gravou o programa "Fábio e elas" acompanhando Fafá de Belém, Elba Ramalho, Simone, Leila Pinheiro, Fernanda Abreu, Elza Soares, Ivete Sangalo, entre outras cantoras brasileiras.


Em 1996 foi convidado pelo pianista americano David Goldblatt para ir a Los Angeles. Lá, Kiko teve contato com grandes músicos da "cena" jazzística americana como Dough Lunn, Vadeem Zilberstein, John Leftwich e a grande oportunidade de verificar se suas pesquisas autodidatas eram procedentes estudando com Dave Weckl. Em viagem a Cuba com o músico gaúcho Ernesto Fagundes, Kiko Freitas estudou ritmos afro cubanos com o grande percussionista Changuito, criador do Songo, e também pesquisou bases da cultura afro daquele país, além de ter tocado ao lado de Ricardo Baungarten no mais importante Jazz club de Havana.


Atualmente Kiko Freitas toca na banda de João Bosco, com quem já realizou tours em todo o Brasil e exterior, inclusive ao lado do grande pianista cubano Gonzalo Rubalcaba. Kiko gravou os Cds de João Bosco "Na esquina ao vivo" , lançado em abril/2001 e o mais recente "Malabaristas do sinal Vermelho"