CONRADO PAULINO - WRONG WAY - CD

R$ 22,99

Disponibilidade: Em estoque

Código: CDWW

Editora: independente

Idioma: Português

Autor/Artista: Conrado Paulino

Instrumento: CD Instrumental

Formato: CD Instrumental


No seu novo CD Wrong Way o violonista Conrado Paulino interpreta suas originais releituras de clássicos da música brasileira em arranjos e improvisações para violão solo. Conrado se destaca pela sua linguagem harmônica moderna e a equilibrada união entre o virtuosismo e a sensibilidade, musicalmente fluindo em uma excelente combinação de repertorio brasileiro, linguagem jazzística e recursos do violão clássico.  

CD - NACIONAL

Sobre o CD:

Conrado,

Poucas palavras para falar e muito coração pra sentir a sua arte, pra aprender com você que faz música por amor, com extremo bom gosto e criatividade. Profundo conhecedor dos mergulhos harmônicos e comprometido com a beleza e a reflexão. É uma honra ser seu amigo, seu contemporâneo e seu fã.  Guinga


Com estas palavras o mestre Guinga recomenda o novo trabalho do violonista Conrado Paulino.  E Conrado estava mesmo devendo um CD solo.

Conhecido como professor de nomes como os compositores Chico César e Eduardo Gudin, passando pelo bluesman Nuno Mindelis, o guitarrista Tomati e o violonista Camilo Carrara, Conrado não tinha ainda gravado seu trabalho solo, embora tenha se apresentado regularmente como solista no país e no exterior.

Agora, finalmente o público vai poder apreciar seus arranjos originalíssimos, marcados pela sua linguagem harmônica moderna e a equilibrada mistura do suingue brasileiro com a sofisticação e energia do jazz.

Neste esperado CD, Conrado homenageia seus "mestres"  Baden Powell, Joe Pass , Hélio Delmiro e Guinga, dedicando-lhes  alguns arranjos. Na opinião do artista, esses quatro gênios são a sua maior referência e influência, além de representarem simbolicamente o passado, o presente e o futuro.

E para homenagear seus mestres e  todos os mestres da nossa música, Conrado Paulino traz um CD apenas com músicas de autores consagrados. Nomes como Noel, Jobim, Caetano, Chico, Herivelto Martins, Braguinha e Ivan Lins são interpretados numa obra cheia de misturas e encontros que, embora normalmente pareça que se opõem, integram-se harmoniosamente no CD. Na sua música, Conrado Paulino consegue conciliar a valorização da melodia com a liberdade da improvisação, o resgate das antigas canções brasileiras com a ousadia da linguagem harmônica moderna e a brasilidade com o vocabulário do jazz .

Embora haja momentos de virtuosismo e ousadia, é um CD de violão onde a prioridade é a canção, abandonando os excessos em benefício do resultado musical e unindo com equilíbrio a técnica e a sensibilidade.

Talvez seja por isso que o trabalho conta com o aval do mestre Guinga. Afinal, foi ele quem disse que "o interprete nunca é maior do que a canção que ele está tocando".
Justamente pelo fato de comungar com a opinião do Guinga é que as canções se engrandecem nas releituras de Conrado, ganhando uma nova roupagem que as renovam, sem perder a essência. Certamente Noel Rosa, se vivo fosse, gostaria da versão de Feitio de Oração, gravada com o respeito que o mestre da Vila Isabel merece, mas, sem deixar de descobrir as potencialidades que a composição tem e que só a linguagem moderna - que Conrado domina amplamente - pode revelar.

É a vitória da sensibilidade sobre o malabarismo, enfim, da música sobre o exibicionismo.
Pela qualidade do trabalho e pelos longos anos de estrada, Conrado nos deve muito mais, um CD só não é suficiente. Tomara que continue pagando em breve. E vamos cobrar a dívida!

Júlia Canto Castro, jornalista