Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia mais

TIA AMÉLIA - O PIANO E A VIDA INCRÍVEL DA COMPOSITORA - Jeanne de Castro

R$ 85,99

Disponibilidade: Indisponível

Código: LI-013

Editora: Tipografia Musical

Idioma: Português

Autor/Artista: Jeanne de Castro

Instrumento: Leitura

Formato: Livro Físico / Partituras / 264 páginas

UPC: 9786587867366

PRAZO DA ENCOMENDA: 15 DIA(S)

Não, Tia Amélia não era minha tia. Este era o nome de guerra de uma extraordinária pianista e mulher que, ao se reinventar para uma segunda carreira artística com mais de 60 anos, aumentava a idade para parecer mais velha! Como se precisasse disso para conquistar a televisão, o rádio, a imprensa e o público com seu assombroso piano. Quem mais seria capaz de fazer dos choros, valsas e baiões um estouro nos anos 1950 e 60, em plena época da bossa nova e do rock ‘n’ roll?

Se Tia Amélia não era minha tia, poderia ter sido. Por um absurdo acaso, ela foi inquilina de minha tia no Flamengo, no Rio, e eu, aos dez anos, via-a ensaiar todos os dias no piano do apartamento. As paredes tremiam diante do seu punch ao teclado. Na verdade, Amélia Brandão era a tia de todos nós, que amávamos a música popular brasileira.

E, também não, Jeanne de Castro não é minha prima ou sobrinha. Mas podia ser minha irmãzinha, no entusiasmo e euforia com que mergulha no passado e recria não só a vida de sua biografada, mas todo o universo que a cercava.

Tipografia Musical

Ruy Castro (texto de contracapa do livro)

Vida extraordinária da pianista e compositora pernambucana Amélia Brandão (1897-1983) é contada agora na biografia Tia Amélia – o piano e a vida incrível da compositora, da jornalista e produtora cultural Jeanne de Castro. O livro resgata a trajetória da artista e a coloca definitivamente na história da música brasileira.

Nascida em Jaboatão dos Guararapes (PE), Tia Amélia fez sucesso em Recife e no Rio de Janeiro, realizando turnês pelo Brasil e pela América Latina, “espalhando seu carisma, talento e alegria mundo afora”, como conta Jeanne.

Famosa nos anos 1950 e 1960, quando adotou o nome artístico de Tia Amélia, a compositora, da mesma linhagem de Chiquinha Gonzaga e Ernesto Nazareth, gravou discos premiados e com êxito de vendas, além de ter por dez anos programas de TV semanais no Rio de Janeiro.

O leitor poderá acompanhar os grandes feitos de Amélia Brandão e como ela conseguiu driblar o patriarcado, o etarismo e os desafios de ser artista, construindo uma bem-sucedida carreira e ganhando o respeito de seus contemporâneos, como Pixinguinha, Dorival Caymmi, Carmélia Alves, Maysa, Radamés Gnattali, Jacob do Bandolim, Chacrinha, Ary Barroso, Vinicius de Moraes.

A autora entrevistou Julio Medaglia, Angela Ro Ro, Egberto Gismonti, Paulinho de Viola, Gilson Peranzzetta, Marco Aurélio Xavier, Luciana Rabello e Izaías Bueno de Almeida, entre outros artistas, que relatam a importância de Tia Amélia em suas vidas e na Música Brasileira.

O projeto do livro foi selecionado em 1º lugar no edital #ProAC2022, na categoria Literatura Não Ficção, e é publicado agora pela Editora Tipografia Musical.

MULHER E ARTISTA

A vida de Tia Amélia foi marcada por sua imensa capacidade de saber o que queria: o piano e a música. Mulher brilhante, determinada e obstinada, rompeu com todas as expectativas de sua época, tendo uma carreira calcada em seu talento, inventividade e alegria e se arriscando muitas vezes.

Saiu do engenho e foi com seus três filhos e seu piano para Recife, conquistando muitos espaços a partir de 1920, como na Rádio Club de Pernambuco. Gravou em 78 rotações, conseguiu realizar turnês com sua filha Silene Nery – duas mulheres ganhando os palcos do mundo nos anos de 1930 –, além de apresentar programas em rádio e, posteriormente, na TV nos anos 1950/60, como Velhas Estampas, na TV Rio, e Tia Amélia – Suas Histórias e Seu Piano Antigo, na TV Tupi do Rio de Janeiro.

Tia Amélia afirmou, aos 83 anos, que se fosse dona de casa morreria de tédio. Inquieta e alegre conseguiu driblar as situações mais difíceis, burlando as imposições e se reinventando.

PESQUISAS E DEPOIMENTOS

Jeanne de Castro ouviu falar de Tia Amélia por meio do pianista capixaba Hercules Gomes, que lhe mostrou, em 2018, os LPs da compositora e propôs o projeto de gravação de seu álbum Tia Amélia Para Sempre (Selo SESC, 2020). Hercules transcreveu e arranjou 35 partituras do legado de Tia Amélia e tem sido, desde então, o grande divulgador de sua obra musical.

Em um encontro com o jornalista e musicólogo Zuza Homem de Mello, em 2019, este lhe disse: “a história de Tia Amélia é muito mais incrível que sua música”. Jeanne então mergulhou a fundo em uma pesquisa minuciosa, juntamente com Maria José Sampaio Brandão, sobrinha da artista, recorrendo especialmente às matérias publicadas na imprensa e cartórios de Jaboatão.

A autora descobriu fatos curiosos, como a invenção da viuvez de Tia Amélia, e dados sobre seu trabalho na Rádio Clube de Pernambuco, seu cargo de maestra no Cine Ideal em Recife, seu empenho como folclorista, a gravação de 40 fonogramas no Rio, e seu encontro com Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga nos anos 1930.

SOBRE A AUTORA:

Jeanne de Castro é paulistana. Graduada em Jornalismo, é produtora cultural com mais de 20 anos de atuação e tem realizado projetos relevantes, especialmente em Música. Entre seus vários trabalhos destacam-se a websérie Izaías e a Memória Viva do Choro. Foi uma das produtoras do programa Brasil Toca Choro (TV Cultura, 2018). Foi sócia da casa de shows Tupi or not Tupi (2017-18). Produziu diversos CDs, entre eles Tia Amélia Para Sempre, com Hercules Gomes (Selo SESC 2020).